Ballet · cultura · Dicas

A Bailarina – O Filme

Oi oi meus amores, tudo bom?❤ Hoje vamos contar um pouquinho sobre o filme “A Bailarina” essa fofurice que
está para estrear aqui no Brasil. ballerina-film-promo-imageParis, 1869. Uma sonhadora menina órfã toma uma atitude arriscada para conseguir o que quer: foge para Paris para realizar o sonho de ser uma grande bailarina. Lá ela decide se passar por outra pessoa, e consegue uma vaga no Grand Opera, onde vai aprontar muitas aventuras.
“A Bailarina” é um longa metragem, em animação,  da Paris Filmes.

  • Elenco: Mel Maia, Elle Fanning, Dane DeHaan
    Diretor: Eric Summer, Eric Warin
    Gênero: Infantil
    Classificação: Livre

    Na França, a animação já foi lançada e aqui no Brasil o lançamento ocorrerá no dia 26/01/2017 🙂

    Nossa querida Claudia Mota é embaixadora oficial do Filme  a convite da Paris Filmes.  Uma honra, não é mesmo?
    15781042_1231042130316219_7972461065235247845_n
    Nossa doce Mel Maia é quem dá voz a Felicie ❤ 15625517_1522646321093800_5090369774358102016_n

    Uma explosão de fofura não é? Assistam o trailer pra controlarmos a ansiedade. 🙂

fonte: cinemark.com | fotos: @parisfilmes | @claudiamotaoficial

Espero que vocês tenham gostado
Um beijo e até a próxima!❤

Assinatura E-mail

Anúncios

Um comentário em “A Bailarina – O Filme

  1. Simplesmente espetacular! Norman McLaren afirmava que o cinema de animação não era a arte dos desenhos em movimento, mas a arte do movimento que é desenhado. A Bailarina é um filme de texturas luxuosas e grandiloquentes movimentos da câmera virtual, criados para realçar a grandiosidade dos cenários. O enredo possui alguns detalhes inesperados que passam por certa amoralidade nas ações de sua heroína, capaz de fingir ser outra pessoa para atingir os objetivos que ela acha que são negados por pura questão de classe. As profundas debilidades do filme aparecem quando os personagens se movem e, especialmente, quando dançam, sujeitos a movimentos que pouco lembram a leveza graciosa dos corpos na dança clássica e que, em vez disso, mostram as limitações de certa animação digital quando amarra às cadeias do algoritmo a liberdade do traço do artista artesão.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s